Compartilhar

Duas brasileiras entre as 50 maiores editoras do mundo

Duas brasileiras entre as 50 maiores editoras do mundo

Somos e FTD faturaram o suficiente para entrar para o time das 50 maiores editoras do mundo. Pearson lidera o ranking, mesmo com queda de 15% nas suas receitas.

Desde 2007, todos os anos, um time de especialistas ao redor do mundo compila dados e informações sobre as maiores editoras do planeta. Estas informações são organizadas pelo consultor austríaco Rüdiger Wischenbart que organiza o Global Ranking of the Publishing Industry. No ranking estão listadas as 50 companhias que tiveram receitas acima de 150 milhões de euros. Na edição de 2017, que será oficialmente apresentada no CEO Talk da Feira de Frankfurt, marcado para acontecer no dia 11 de outubro, foram arrolados dois grupos editoriais brasileiros: a FTD e a Somos Educação.

 

Rüdiger Wischenbart, consultor austríaco que coordena o ‘Global Ranking of the Publishing Industry 2017’ | © Divulgação

 

Sempre bom observar que, no ano passado, diante da corrosão do Real frente ao Euro, o Brasil ficou de fora do ranking. Nesse ano, quem ficou de fora foi a China, o segundo maior mercado de livros do mundo, perdendo apenas para os EUA. Isso por que o governo chinês, que comanda as casas editoriais no país, não deram o sinal verde para a divulgação dos números referentes ao exercício de 2016.

Com a compra dos ativos editoriais da Saraiva, a Somos conseguiu, em 2016, receita de 408 milhões de euros, o suficiente para colocar a companhia na 32ª posição do ranking. Já a FTD, com faturamento de 176 milhões de euros, ficou na 49ª posição (na edição passada, ficou na 55ª, fora do ranking, portanto).

Queda nas vendas

No ranking passado, a receita combinada dos grupos que compuseram a lista foi de 63,7 bilhões de euros. Com a falta dos números da China, tornou-se impossível fazer uma comparação justa com o ano anterior. Mas só a título de registro, as companhias listadas no ranking 2017 somaram faturamento de 53,5 bilhões de euros.

 

Evolução das receitas anuais dos seis maiores grupos de 2007 a 2016

 

Mesmo sem os números da China e olhando individualmente empresa a empresa, nota-se que menos da metade das empresas listadas tiveram ganhos de faturamento na comparação com o ano passado. Exemplo disso é justamente a número um do ranking, a Pearson. No ano passado, a companhia apurou faturamento de 6 bilhões de euros. Em comparação com essa cifra, neste ano, a Pearson apresenta queda de 15%, fechando 2016 com faturamento de 5,31 bilhões de euros.

O Global Ranking of the Publishing Industry é encomendado pela Livres Hebdo a Rüdiger e conta com inputs de importantes veículos especializados na cobertura do setor: Bookdao (China) The Bookseller (Reino Unido), buchreport (Alemanha), PublishNews (Brasil) e Publishers Weekly (EUA).

CEO Talk

Para a edição de 2017 do CEO Talk foram convidados Carolyn Reidy, da Simon & Schuster, e Guillaume Dervieux, da Albin Michel, que serão sabatinados por jornalistas que compõem as redações dos veículos que fazem parte do Ranking. Ela está à frente das operações da S&S no Reino Unido, Índia e Austrália desde 2008 e ele está à frente da centenária Albin Michel desde 2012. As discussões vão girar em torno do desenvolvimento estratégico de suas empresas no cenário internacional, em especial dentro do contexto global de competição e de transformações por que passa a indústria do livro em nível global. A programação acontece no dia 11 de outubro, das 14h às 15h, dentro do Business Club (Hall 4.2 – Room Dimension).

Veja abaixo o ranking completo dos 50 maiores grupos editoriais do mundo

Posição 2017 Posição 2016 Empresa País
1 1 Pearson Reino Unido
2 3 Grupo RELX Reino Unido / EUA / Holanda
3 2 Thomson Reuters Canadá
4 não listado Bertelsmann Alemanha
5 4 Wolters Kluwer Holanda
6 8 Hachette Livre França
7 10 Grupo Planeta Espanha
8 9 McGraw-Hill Education EUA
9 11 Wiley EUA
10 15 Springer Nature Alemanha
11 14 Scholastic (corp.) EUA
12 12 HarperCollins EUA
13 13 Cengage Learning Holdings II EUA / Canadá
14 16 Houghton Mifflin Harcourt Ilhas  Cayman
15 19 Holtzbrinck Alemanha
16 23 Shueisha Japão
17 25 Kodansha Japão
18 22 Informa Reino Unido
19 24 Kadokawa Publishing Japão
20 21 Oxford University Press Reino Unido
21 27 Bonnier Suécia
22 26 Shogakukan Japão
23 29 Simon & Schuster EUA
24 30 Grupo Santillana Espanha
25 28 Egmont Group Dinamarca
26 32 Klett Alemanha
27 31 Woongjin ThinkBig Coréia
28 39 Mondadori Itália
29 34 De Agostini Editore Itália
30 35 Groupe Madrigall França
31 36 Les Editions Lefebvre-Sarrut França
32 não listado Somos Educação Brasil
33 33 Messagerie / GeMS Itália
34 44 Kyowon Coréia
35 38 Media Participations Bélgica
36 37 Cambridge University Press Reino Unido
37 40 Westermann Verlagsgruppe Alemanha
38 48 EKSMO-AST Rússia
39 41 Sanoma Finlândia
40 42 Cornelsen Alemanha
41 43 Haufe Gruppe Alemanha
42 47 Gakken Japão
43 45 WEKA Alemanha
44 não listado France Loisirs Luxemburgo
45 50 Bungeishunju Japão
46 46 La Martinière Groupe França
47 49 Prosveshcheniye Chipre
48 51 Groupe Albin Michel França
49 não listado Editora FTD Brasil
50 52 Shinchosha Publishing Japão

 

PUBLISHNEWS, LEONARDO NETO, 05/09/2017

voltar